Com apoio de Alcolumbre, Pacheco deve oficializar candidatura dia 18

Na imagem, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG)

Na imagem, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG)
Reprodução Senado Federal

O senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) deve lançar oficialmente a candidatura à presidência do Senado em uma semana e meia, na segunda-feira (18). O lançamento só não irá ocorrer se o parlamentar perceber que não há apoio suficiente para que o seu nome seja competitivo. 

Por enquanto, nada indica a retirada da pré-candidatura. Com apoio de Alcolumbre, impedido de renovar o próprio mandato após decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), Pacheco tem conversado com os seus pares, que são também os seus eleitores, e recebido demonstrações de apoio. Ontem o PSD, partido comandado por Gilberto Kassab, anunciou apoio unânime da bancada de 11 senadores após encontro em Belo Horizonte, com a presença de Kassab e do senador baiano Otto Alencar, na casa do prefeito da capital mineira, Alexandre Kalil. 

Nos próximos dias, Pacheco pretende realizar encontros com senadores em Brasília, e em caso excepcionais viajar aos Estados para as conversas. Só tomará a decisão do lançamento oficial após essas conversas. 

As maiores bancadas no Senado são do MDB, com 13 senadores, do PSD, com 11, do Podemos com 10 senadores, seguidos de PP e PSDB, ambos com 7 senadores. O MDB pretende exercer a tradição da prerrogativa de indicar o presidente por ter a maior bancada, mas esse acordo só é possível quando há maioria. Na eleição passada, o MDB insistiu no nome do senador Renan Calheiros (AL) que tinha restrições na Casa, e acabou derrotado no voto por Alcolumbre, até então visto como azarão.

O revés levou a uma eleição atribulada, com briga dentro do plenário entre os senadores Renan Calheiros e Tasso Jereissatti e roubo da pasta da sessão pela senadora Kátia Abreu. 

Cresta Help Chat
Send via WhatsApp