Kalil não descarta concorrer à Presidência ou ao Governo de MG

"Modéstia nunca foi o meu forte", disse Kalil

“Modéstia nunca foi o meu forte”, disse Kalil
Reprodução / TV Cultura

Alexandre Kalil (PSD), prefeito reeleito Belo Horizonte, não descarta se candidatar à Presidência ou ao Governo de Minas Gerais em 2022.

A afirmação foi dada durante entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, na noite desta segunda-feira (30).

Especificamente sobre o cargo de presidente, o político disse que ainda não houve conversas por parte do partido sobre o assunto. O mandatário reeleito em primeiro turno com 63% afirmou, no entanto, que não recusaria o convite.

— Modéstia nunca foi o meu forte. Você já pensou se eles quiserem me carregar até lá (Presidência)? É claro que eu vou. Eu não tenho nenhuma pretensão. Eu sou prefeito reeleito de Belo Horizonte e respeito a votação massacrante que eu tive lá. Agora pera, lá. Se eu for carregado para lá, muito obrigado (sic).

Sobre Governo Estadual, o ex-presidente do Atlético Mineiro afirmou que antes de se tormar uma decisão precisa avaliar o cenário de Minas Gerais até às próximas eleições. Kalil também destacou que, primeiramente, vai “respeitar” os eleitores que o levaram para mais um mandato na Prefeitura de BH.

— Tem um didato que diz que sempre estamos a uma passo da próxima eleição. Eu penso diferente. Do jeito que anda a política no Brasil, estamos a uma eternidade. O que pode acontecer daqui até 2022?

Obras e transporte

Kalil ainda comento sobre as obras para conter as enchentes na cidade. Segundo ele, mais quatro anos não será suficiente para concluir os trabalhos que já foram iniciados.

Para a próxima gestão, o chefe do Executivo municipal planeja uma “supersecretaria” para cuidar cuidar apenas dos assuntos relacionaos ao transporte. A pasta deve ficar sob o comando do vice-prefeito eleito, Fuad Noman.

Carnaval

Sobre o Carnaval 2021, Kalil deu a festa no mês de fevereiro como “cancelada”, mas garantiu que é de interesse realizar o evento ainda no ano que vem, caso haja uma campanha de vacinação contra a covid-19.

— Quem entende de Carnaval é baiano e carioca. Eles podem marcar a data que nós vamos atrás.